RSS Feed
    Pesquisa avançada 
Keitaro entrevista Jackal
Entrevista feito pelo Keitaro em 03/09/2004:


Keitaro: Primeiramente, fale um pouco de você. (idade, profissão, lugar onde mora, etc.)

Jackal: Meu nome é Marcelo, tenho 29 anos, solteiro, trabalho como webmaster e sou programador em uma loja de informática e provedor de internet da cidade de Santa Rita do Passa Quatro - SP.

Keitaro: Conte um pouco da sua vida com relação a vídeo-games e jogos.

Jackal: Adoro vídeo-game. Tudo começou eu quando eu tinha 5 anos e jogava Phoenix e Pac-man no fliperama, junto com meu irmão mais velho, todo sábado à noite. Com 8 anos de idade, a minha mãe teve que comprar o Atari 2600 para eu parar de gastar o dinheiro com as fichas de fliperama. Meu primeiro jogo do Atari 2600 foi Adventure (eu era viciado), que é um dos melhores jogos do Atari que já joguei. Já tive cerca de 25 cartuchos com cerca de 60 jogos no total. No final da década de 80, comprei um Phantom System (compatível com o NES). Joguei muitos jogos como Super Mario Bros. 3, Battletoads, Double Dragon 2 e 3, Totally Rad, Predator e muitos outros. No ano de 1991, comprei um Mega Drive (japonês) e um Gameboy. Nessa época, eu terminava cerca de 95% de jogos alugados (Mega Drive) na locadora de vídeo-game. Foi a minha época de ouro junto com a de Nintendinho. No ano de 1997, comprei um Super Nintendo, mas, infelizmente, o ciclo dele já estava bem no fim e não tive muito o que comemorar com ele. No ano de 1998, comprei um Playstation. Já nessa época eu não jogava muito os jogos, mas terminava vários jogos difíceis como Resident Evil 1, Galerians, Gran Turismo, Grand Tour Racing 98, Medal Of Honor, Driver, Contra Adventure, Castlevania - Symphony of the Night, Nightmare Creatures e outros. Atualmente, meu Playstation está quebrado (deve ser o leitor). Estou pretendendo comprar um Playstation 2 no fim deste ano. Como você já pode notar, sou o verdadeiro fã de vídeo-game. E ainda hoje eu possuo esses vídeo-games, menos o Atari 2600.

Keitaro: Qual é o seu emulador / jogo preferido? Por quê?

Jackal: Meu emulador preferido é o Gens e VirtuaNes, porque eles emulam quase perfeitamente os jogos, principalmente o emulador de Mega Drive (Gens). Meus jogos preferidos são: Adventure (Atari 2600), Ms. Pac-Man (Arcade), Final Fight (Arcade), Battletoads (NES), Super Mario Bros. 3 (NES), Strider (Mega Drive), Sonic 2 (Mega Drive), El Viento (Mega Drive), Streets of Rage (Mega Drive), Galerians (PSX) e Resident Evil (PSX).

Keitaro: Como você conheceu os emuladores?

Jackal: Através de uma matéria sobre emuladores na Revista Geek nº 2. Na época, eu tinha um computador 486. Eu me lembro muito bem quando fui no provedor abrir uma conta só para baixar ROMs de NES e Arcade com aquela lerdeza de meu 486. :D

Keitaro: A que grupo você pertenceu / fundou? Conte um pouco da história dele.

Jackal: Inicialmente, eu pertenci ao grupo CBT. Tudo começou quando eu conheci a CBT através de um site de NES. Foi aí que fiquei interessado em traduzir os jogos. Mas, para entrar no grupo, tive que traduzir 10 jogos de Nintendo, e somente 3 dessas traduções foram aceitas. Mas e as minhas outras 7 traduções, como ficariam? Para não desperdiçar meus trabalhos, eu resolvi criar um site chamado BR Games, inserindo essas traduções. Foi aí que nasceu o grupo BR Games, que hoje é o maior site de traduções.

Keitaro: O que te levou a traduzir?

Jackal: Simplesmente a vontade de ver os meus jogos preferidos em português. Além disso, obter conhecimento técnico sobre os hexadecimais, assembly e estruturas internas de um software.

Keitaro: Que jogo(s) você traduziu? Conte um pouco da história da(s) sua(s) tradução(ões).

Jackal: Traduzi dezenas e dezenas de jogos. São muitas traduções que eu já perdi a conta. A grande maioria são para os jogos de Nintendo 8-Bits. As melhores traduções feitas por mim foram Final Fantasy 1 e Final Fantasy 2 (ambos de NES). Também vale destacar as traduções de Donkey Kong Country 2 (SNES) e Robocop (NES) que foi a minha última tradução.

Keitaro: Que jogos você ajudou a traduzir?

Jackal: Bom, já ajudei na tradução de Donkey Kong Country 2 (SNES), que fiz juntamente com o XMib e Wolf (que teve participação indireta). No momento, estou traduzindo o CD2 do Galerians juntamente com o Lion, que é o responsável direto por essa tradução.

Keitaro: O que o afastou da emulação / romhacking?

Jackal: Eu nunca fiquei afastado da emulação e sim um pouco de área de romhacking e tradução de ROMs, devido à falta de tempo disponível para me dedicar exclusivamente nessa área. Agora eu retornei e estou traduzindo o CD2 de Galerians (PSX), mas o tempo ainda é curto.

Keitaro: Como anda a sua vida atualmente?

Jackal: Trabalhar, trabalhar e trabalhar... Trabalhar é muito bom para todos. Como trabalho na loja de informática / provedor de internet, praticamente aprendi muitas coisas sozinho (me considero uma pessoa autodidata), como programação em Visual Basic, programação de página de internet com ASP e banco de dados, manutenção de microcomputadores, consultorias, atendimento aos clientes, etc. É uma pena eu não ter tempo suficiente para me dedicar à emulação / tradução. Mas o pouco que me dedico já faço um estrago enorme no cenário da emulação... pode acreditar!

Keitaro: O que você espera da emuscene / romhacking nesse e nos próximos anos?

Jackal: Espero que melhorem ainda mais. Até o ano passado parecia tudo morto. Neste ano melhorou bastante com o aparecimento de vários sites competentes de ROMs, alguns sites de notícias de emulação de qualidade pintando cada vez mais na rede e, principalmente, novos e excelentes fóruns de emulação e tradução que estão virando uma febre, como o Fórum Unificado de Tradução idealizado pela Tradu-Roms e que está sempre nos motivando a continuar nesse maravilhoso cenário da emulação.

Keitaro: Anda acompanhando a emuscene / romhacking atualmente? Se sim, o que acha? E sobre grupos brasileiros de tradução de hoje?

Jackal: Sim, até que hoje em dia está bom, mas poderia ser melhor. O que me deixa bastante preocupado é a enorme quantidade de grupos de tradução inativos. Até a Hexagon está inativa. Hoje em dia é fácil perceber quais grupos acabarão e quais se manterão vivos por muito tempo. O grupo Made in Brasil é um grupo que está trazendo boas novidades e traduções. A IPS Center também merece meu respeito. Mas existem outros grupos ótimos também.

Keitaro: Você tem algum futuro projeto relacionado à emulação / romhacking em mente?

Jackal: Sim, voltar a traduzir vários jogos de Nintendo 8-Bits e também de Mega Drive.

Keitaro: Tem alguma coisa que eu não perguntei e que você gostaria de falar / contar?

Jackal: Nenhuma... Acho que tudo já foi perguntado.

Keitaro: Alguma palavra final? Algo a dizer a quem está lendo / vai ler?

Jackal: De uma coisa eu tenho absolutamente certeza: a BR Games crescerá ainda mais e o site trará várias traduções e novidades em breve. Quero deixar uma mensagem aos desaminados da cena romhacking / emulação: parece que estamos no fim do mundo, mas não estamos. Tem muitos sites de emulação muito bons pintando na rede, é só ter boa vontade e procurar...

Vou terminando por aqui.
Desde já agradeço pela entrevista.

Abraços, Jackal.
  Veja em artigo em formato PDF Imprimir artigo Enviar artigo

Navegação
Artigo prévio Keitaro entrevista Hyllian Keitaro entrevista Japa Boy Junior Próximo artigo
Sites recomendados
Utilitários recentes
eXTReMe Tracker
Acessos:

Click here