RSS Feed
    Pesquisa avançada 
Keitaro entrevista PirateAlx
Entrevista feita pelo Keitaro e publicada em 02/10/2004:


Conheçam um pouco mais sobre PirateAlx:

Keitaro: Primeiramente, fale um pouco de você. (idade, profissão, lugar onde mora, etc.)

PirateAlx: Eu me chamo Alex Lima Lopes Cançado, sou de 83, estou fazendo faculdade em Rio Preto / SP. Moro em Barretos / SP.

Keitaro: Conte um pouco da sua vida com relação a vídeo-games e jogos.

PirateAlx: Cara, vídeo-game é vício desde muito cedo. Ficava olhando nos fliperamas a galera jogando. Acho que comecei a jogar mesmo quando meu irmão mais velho pegava o FAMICOM de um amigo japonês dele... heheh, jogava escondido e talz...

Bom, o tempo passa e voa, meu primeiro vídeo-game foi um Master System. Daí para frente, foi só alegria: SNES, Game Gear, GameBoy, Saturn, PlayStation, Turbo Game, DreamCast...

Atualmente ainda tenho um GBA, um 3DO, um Saturn (desse eu tenho ciúmes, heheh... o Bomberman desse console é o melhor...) e um DreamCast. Para falar a verdade, quase não jogo mais consoles, visto a facilidade de jogar games de alta tecnologia do meu PC (comparáveis ou até melhores que games de Game Cube, PlayStation 2, etc.). Mesmo assim, jogo muito emulador. Atualmente ando mais na praia do GBA, com seus belos e novos jogos...

Keitaro: Qual é o seu emulador / jogo preferido? Por quê?

PirateAlx: Cara, não sei se tem muito disso, mas acho que o melhor emulador ainda está para nascer (o que acha de um DreamCast rodando a 60 FPS no seu PC? heheh...). Mas sério agora. O meu emulador favorito sempre foi o ZSNES, mas devo confessar que hoje em dia estou mais encantado com o que o GBA pode oferecer; logo o Visual Boy Advance ganha o meu voto. Quanto aos jogos, cara, essa é difícil. Do Master System gosto do Jurassic Park, Desert Speedtrap, Battletoads in Battlemaniacs; SNES com seus Square-RPGs como Chrono Trigger, Secret of Mana, e ainda o que considero o melhor game de luta de todos os tempos: Killer Instinct (no SNES já é demais, experimente num emulador do arcade Ultra64...) Foi na era SNES que foram os meus dias de alegrias na molecagem... até me lembro de Megaman7, Megaman X, Judge Dredd, Samurai Shodown, Rock 'n Roll Racing, Biker Mice from Mars, etc, e altos campeonatos com os amigos no "Super Campeonato Brasileiro III deluxe". Semelhante a essa nostalgia, sinto pelo Sega Saturn, no qual joguei muito entre amigos Daytona, Virtua Fighter series, Street Fighter Alpha 2, Saturn Bomberman, Road Rash, Courrier Crisis (essa versão para Saturn, nunca mais encontrei, mas tenho ela para PlayStation). Mas como disse, atualmente passo mais o tempo diante de um PC e elejo os games da série Medal of Honor Alied Assult os que eu mais estou curtindo no momento. Além do jogo ser ótimo no single player, experimente como nós fazemos aqui: reunir uns 10 amigos, montar uma lan party e varar a noite dando tiro nos chucrutes nazistas, heheh...

Keitaro: Como você conheceu os emuladores?

PirateAlx: Conheci emuladores na sala de computação de um colégio onde eu trabalhava e estudava. Nem tinha PC ainda e eu estava naquelas de pedir dicas do SNES via e-mail para a falecida Playtronic. Quando então pesquisava sempre no CADÊ sobre jogos de vídeo-games e dicas. Putz! No meio daqueles trocentos links, na época tinham apenas alguns sites que apresentavam os emuladores para nós. Meu primeiro emulador foi o NESticle, com sua mãozinha cortada, heheh. Mas logo fui à procura de um emulador de SNES, onde encontrei o ZSNES.

Acho engraçado quando olho para trás e vejo hoje em dia. Tudo muito fácil, o que mais tem é site falando de emulador, ROMs e tradução. Por falar em tradução, foi quase que sem querer que encontrei um site chamado "Gigabyte³", de um certo Zero que mais tarde descobri ser membro da tão popular CBT... No site do Zero, ele falava sobre emulação e também sobre tradução de games de NES. Putz, os olhinhos até brilhavam quando pensava que se poderia fazer uma coisa dessas. A partir daí descobri também os sites da Emuroms, CBT e algumas outras páginas pessoais que se dedicavam a essa novidade. Mandei um e-mail para o Zero, que me respondeu as perguntas e indicou um link de um cara chamado Sonix, onde ele ensinava os primeiros passos para se traduzir uma ROM: (http://pagina.de/sonix). E aí tudo começou. Isso era meados de 1997 ou 1998.

Keitaro: A que grupo você pertenceu / fundou? Conte um pouco da história dele.

PirateAlx: Nunca pedi para entrar em grupo nenhum. Sempre fazia minhas experiências de romhack quietinho, sempre acompanhando tutoriais de grupos. Talvez porque achava que ainda não estava preparado ou talvez por não possuir PC ainda. Depois que consegui comprar meu PC, comecei a brincar de fazer páginas e resolvi compartilhar do meu entusiasmo com a galera. Meu primeiro site estava no http://www.piratealx.hpg.com.br e, inicialmente, tinha como idéia dispor para downloads ROMs de vídeo-game. Meu primeiro projeto público foi o RPG Ramma 1/2. Estava até que indo legal, mas desisti quando o vi como trabalho da renomada Hexagon tempos depois. Depois disso, estava ficando inviável manter ROMs no site, muito trabalho de links e tal. Resolvi fazer o site com o propósito principal de traduzir jogos. Fundei o site de mesmo nome de meu nick em 20/12/2000. Tentei formar um grupo a partir daí, mas devo confessar que nunca tivemos um grupo de tradução aqui. Tudo que consegui foram pessoas dispostas a ajudar de alguma forma no meu projeto do Breath of Fire 4. O site tinha consideráveis 200 visitas por semana, com pico de 1000 quando noticiado em sites de tradução, como a BR Games. Hoje em dia está offline por causa do KitNet, mas estou elaborando uma versão mais simples e moderna.

Keitaro: O que te levou a traduzir?

PirateAlx: Enquanto viajava sempre em sites de grupos espanhóis, descobri no site do SK50 (http://go.to/sk50translate) algo sobre tradução de ISOs de PlayStation. Mais tarde, um certo DIMA lançava a primeira tradução brasileira para PlayStation (pelo menos de meu conhecimento): o Castlevania - Symphony of the Night, pela BR Games. Até aí eu tinha feito apenas algumas experiências com ISOs, mas logo que saiu o Breath of Fire 4 americano, me apaixonei e o adotei como projeto. Enquanto tocava nos estudos do Breath of Fire 4, traduzi um game chamado The Legend of Lomax. Tá, eu confesso, foi uma traduçãozinha meia boca (digo no quesito dificuldade). Em alguns dias eu já estava rodando o CD traduzido no meu PSone. Para dizer a verdade, traduções de ROMs já não me chamam ao entusiasmo. Prefiro trabalhar com ISOs, como PlayStation, DreamCast e jogos de PC.

Keitaro: Que jogo(s) você traduziu? Conte um pouco da história da(s) sua(s) tradução(ões).

PirateAlx: The Legend of Lomax. Eu estava numa necessidade enorme de algum jogo 2D para PlayStation. Gostei muito desse, e após algumas experiências, estava pronto o primeiro PPF. O outro é ainda o meu projeto favorito: o Breath of Fire IV. Já fazem cerca de 4 anos e ainda não me canso de aprender com essa ISO. Graças a esse projeto, escrevi uns tutoriais sobre manipular ponteiros em ISOs e sobre figuras em formato Raw.

Keitaro: Que jogos você ajudou a traduzir?

PirateAlx: Como nunca fiz parte de grupo algum, acho que nenhum. Para falar a verdade, quando o ex-CBT Condector ressurgiu das cinzas, entrei no projeto dele de reabrir a CBT. Mas tão logo ele sumiu, eu também não dei mais as caras... O pessoal da MiB também tinha me convidado, mas como eu tinha entrado nesse projeto com o Condector, não queria dar para trás. Além disso, eu estava na MiB todo dia, no canal, no fórum, no MSN, ICQ, que me sentia tão à vontade que nem um membro mesmo... Mas se for pensar por outro lado, talvez eu tenha ajudado muita gente em suas traduções, pois era (e ainda é) incrível quando me conecto nos comunicadores IRC, ICQ ou MSN. Aparece um monte de pessoas com dúvidas. Gosto de ensinar o que sei e sinto muito prazer em ajudar. Tinha um projeto que morreu, o do Metal Gear Solid (PSX), coordenado pelo ex-MiB Master, no qual dividimos os scripts em um monte de grupos, para serem traduzidos, e nós íamos inserir os textos. Mas nem me lembro mais o que aconteceu. Sei que ainda tenho aqui a minha parte do scrit e o que traduzi dela. Quem sabe um dia?

Keitaro: O que o afastou da emulação / romhacking?

PirateAlx: Hehehe, o que sempre penso, hehe, é que a faculdade mata os romhackers. De um certo modo, sim, todos que começam um curso numa faculdade tendem a desaparecer da scene romhack. Isso somado ao trabaho e uma vida offline.

Keitaro: Como anda a sua vida atualmente?

PirateAlx: Atualmente estou estudando em São José do Rio Preto / SP, cursando Bacharelado em Letras com habilitação em Tradução Pública e Intérprete Comercial. Gosto de tradução e, na boa, vou tentar levar isso para minha vida profissional. Ainda assim, moro em Barretos / SP, onde está minha família e meu trabalho.

Keitaro: O que você espera da emuscene / romhacking nesse e nos próximos anos?

PirateAlx: Espero que os grupos e o pessoal interessado em romhack se fortaleçam, peguem projetos interessantes que possam a levar a desenvolver novas técnicas e tutoriais interessantes.

Keitaro: Anda acompanhado o emuscene / romhacking atualmente? Se sim, o que acha? E sobre grupos brasileiros de tradução de hoje?

PirateAlx: Não acompanho mais como antigamente (diariamente). Atualmente estou novamente numa fase de "sumido", como tantos outros amigos de romhack, mas fase é fase. Vai e volta. Sempre que posso dou uma olhadinha na BR Games (me lembro de quando a BR Games sumiu do mapa por conta server kinox, acho que era esse o nome, época dolorosa, heheh...), nos meus amigos da Made in Brasil (abraços para Olaf, VingDell, Marcelo J. Bravo e outros tantos do fórum...), no espanhol TodoTradus (http://www.todotradus.com), no Dorando (http://emuverse.dorando.com), na Emulatronia (http://www.emulatronia.com) e Talfi World (http://www.talfi.com).

Sobre os grupos, uma coisa que vi e que acho que é certo foi a unificação dos fóruns. Até algum tempo atrás, os grupo eram poucos e com situações normais de grupo: gente entrando e saindo, nehuma novidade no momento, etc. O que movimentava a galera mesmo eram os fóruns e essa unificação veio muito a calhar. Acredito que isso vem a fortalecer todos.

Keitaro: Você tem algum futuro projeto relacionado à emulação / romhacking em mente?

PirateAlx: Quero continuar com meus projetos anunciados no site: Breath of Fire IV (PSX), Max Payne (GBA) e Mortal Kombat II (PSX). Esses são os meus projetos públicos, mas como todo romhacker, tenho uma pasta no computador chamada "Projetos Beta", com cerca de uns 30 jogos que já comecei a "curiosiar". Quem sabe?

Keitaro: Tem algo que eu não perguntei e que você gostaria de falar / contar?

PirateAlx: Bom, depois de cansar de ter problemas com a "TeleCômica", cancelei internet, telefone e tudo mais. Estou vivendo bem, obrigado, mas tem hora que dá muita saudade de quando eu ficava tantas horas online conversando com muita galera da scene romhack. Um abraço para a galera dos canais Hexagon, Made in Brasil, Trans-Center, Romhacking, além da galera dos fórums. Qualquer hora eu apareço.

Keitaro: Alguma palavra final? Algo a dizer a quem está lendo / vai ler?

PirateAlx: Espero que gostem dessa conversa, e não deixem o Romhack esfriar. Meu e-mail está bichado de tanto spam, mas se quiserem comentar alguma coisa, podem mandar um e-mail para piratealxARROBAbolPONTOcomPONTObr
  Veja em artigo em formato PDF Imprimir artigo Enviar artigo

Navegação
Artigo prévio Keitaro entrevista Ninho Keitaro entrevista S-NES Próximo artigo
Sites recomendados
Utilitários recentes
eXTReMe Tracker
Acessos:

Click here