RSS Feed
    Pesquisa avançada 
gamer_boy entrevista Ricardo Bittencourt
Entrevista que gamer_boy fez com Ricardo Bitencourt (autor dos emuladores BrMSX e BrSMS) para o emulacao.net em 04/04/2004:


gamer_boy: Apresente-se, Ricardo.

Ricardo Bitencourt: Como costumo dizer, Ricardo é engenheiro por formação, computeiro por profissão e matemático por vocação. Eu era fã de vídeo-games desde o Telejogo e programava basic antes de ter computador (eu fazia meus programas em papel e no fim de semana ia na empresa do meu pai usar os computadores de lá pra testar).

gamer_boy: Como foi a sua primeira experiência com a emulação? E qual foi o primeiro emulador que você utilizou?

Ricardo Bitencourt: O primeiro emulador que usei foi em idos de 1989. Era um emulador nacional que emulava o sistema ZX81 em um MSX. O software foi feito pela empresa XSW que considerou o emulador o maior fracasso deles (porque o retorno foi muito baixo, pela complexidade que foi fazer o emulador). Na época dos PCs, meu primeiro emulador foi o saudoso JPP que emulava Spectrum em 386, usando umas técnicas bem sujas.

gamer_boy: Por qual motivo e quando foi que você decidiu fazer os seus projetos BrMSX e BrSMS?

Ricardo Bitencourt: Na minha infância, meus pais não tinham muitos recursos. Então, pra comprar um computador novo, eu tinha que vender o antigo. Vendi meu primeiro TK90X pra comprar um MSX, vendi o MSX pra comprar um MSX2 e vendi o MSX2 pra comprar um PC. Quando vendi o MSX2, vendi junto todos os livros de MSX que tinha, exceto um: o Livro Vermelho. Pensava eu: "um dia vou fazer um emulador e vou precisar dele!" É claro que na época eu não conhecia o termo "emulador", mas sabia que poderia adaptar jogos antigos pra plataformas novas.

Comecei o BrMSX, de fato, após encontrar amantes de MSX pela internet que, diferente de mim, não precisaram vender o MSX pra comprar o PC. Poxa! Todo mundo jogando Zanac e eu nada, porque os únicos emuladores que tinham na época, o fMSX e o CJS, não prestavam (eram lentos e cheios de bugs). Aí não teve jeito, tive que fazer um emulador, senão não teria como jogar Zanac de novo.

Já o BrSMS foi uma coisa de momento. Lendo os specs do vídeo-game, eu pensei: "mas, puts, isso aqui é um MSX metido a besta." E, de fato, transformar o BrMSX no BrSMS foi o trabalho de uma única tarde.

gamer_boy: Como você se preparou para começar os projetos (fez algum uso de how-to, cronograma, procedimento, pesquisa)?

Ricardo Bitencourt: Eu já sabia como emular o Z80 através dos manuais do JPP e do Z80 (esse último também é um emulador de Spectrum que rodava até em 286). Mas, diferente deles, eu resolvi usar o modo 386 linear para a emulação, ao invés do modo com segmentos usado pelo JPP e do modo real usado pelo Z80. Por isso, a engine do BrMSX foi um projeto original. Não haviam cronogramas nem nenhum planejamento a longo prazo. As features eram adicionadas conforme os bugs reports chegavam. O máximo de sofisticação foi uma época em que usei o CVS, mas nem isso durou muito.

Agora, a pesquisa, essa foi dura. Além do Livro Vermelho, tive que pegar vários manuais de chips pela web, arranjar xérox de datasheets e, em um dado momento, tive que comprar um MSX real pra comparar a emulação com a realidade, pois algumas informações não tinham em lugar algum!

gamer_boy: Você é um fã do computador MSX e do vídeo-game Master System?

Ricardo Bitencourt: Do MSX eu sempre fui fã, até mesmo antes de ter o computador. Já o Master System era diferente, eu não gostava dele de início (porque na época que ele saiu, todo mundo começou a largar o MSX de lado pra jogar Master System). Só depois de fazer o emulador é que peguei gosto pelo sistema. Ele tem uma arquitetura muito legal, e é bem simples e gostoso programar pra ele. O único defeito era a memória de vídeo, só 16kb. Se fossem 32kb, o vídeo-game ia matar a pau os equivalentes da época, como o NES.

gamer_boy: Os emuladores BrMSX e BrSMS são os seus primeiros trabalhos com a emulação ou você já tinha feito algo antes?

Ricardo Bitencourt: Antes do BrMSX eu tinha feito... o BrMSX :)

Explico: a primeira versão do BrMSX foi feita em janeiro de 1997. Mas depois de um teste ou outro, larguei o projeto pra me concentrar em outras coisas (eu estava muito envolvido com o estágio). Quando chegou mais pro fim daquele ano, o Arnon Cardoso falou que estava fazendo o Java MSX Emulator e perguntou se eu tinha alguma dica. Eu falei que tinha começado a fazer um e larguei de lado. Quando eu fui olhar o código de novo, bateu a vontade de prosseguir, e aí fui até o final.

gamer_boy: É mais fácil criar um emulador de computador ou de vídeo-game?

Ricardo Bitencourt: Sem dúvida de vídeo-game. Um vídeo-game como o Master Sytem tem uns 300, 400 jogos. Um computador tem infinitos. Sempre tem um sacana que programa alguma coisa só pra mostrar que seu emulador tem bugs. Por isso o trabalho num emulador de computador é uma coisa quase sem fim.

gamer_boy: Qual é o status atual dos seus emuladores? E qual é o site oficial para informação e download?

Ricardo Bitencourt: Atualmente os dois emuladores estão descontinuados. Existe uma versão beta do BrMSX para windows, mas ela é mais pra uso como ferramenta de debugging do que como emulador propriamente dito. Ocasionalmente eu solto um upgrade. Sempre que isso acontece, é anunciado na lista msx-rb, acessível no endereço:

http://groups.yahoo.com/group/msx-rb

gamer_boy: O que podemos esperar de novo nos seus emuladores para o futuro?

Ricardo Bitencourt: BrMSX e BrSMS estão descontinuados, então as únicas melhorias que acontecerão no futuro serão no debugger do BrMSX para Windows.

gamer_boy: O que você acha de emuladores comerciais?

Ricardo Bitencourt: Eu adoro! Sempre que uma grande empresa, como a Konami, resolve relançar seus jogos numa plataforma nova, como o Playstation ou um celular, é uma vaga no mercado para programadores de emulador. :)

gamer_boy: Você tem algum futuro projeto com emulação em mente?

Ricardo Bitencourt: Sim, o único emulador que ainda tenho vontade de fazer é o BrMC1000, que vai emular o MC1000, uma máquina brasileira que ainda não foi emulada. Além disso, meus projetos de emulação agora estão todos voltados para a emulação em hardware, usando chips fpga.

gamer_boy: O que você espera para a emuscene (cenário da emulação em geral) neste ano de 2004?

Ricardo Bitencourt: Já faz algum tempo que eu não acompanho a emuscene de perto, então não tenho previsões concretas pra fazer.

gamer_boy: Você se vê como o pioneiro da emulação brasileira? Acha que o Brasil tem condições de se igualar aos grandes países a nível de emulação ? Quais os países e autores que você tem admiração / respeito pelo que vêm fazendo na emuscene?

Ricardo Bitencourt: Talvez eu tenha sido o primeiro autor popular no exterior, mas pioneiro certamente não. Além do emulador de ZX81 pra MSX que citei, tem um outro ainda mais antigo!

Antigamente, na escola Politécnica da USP, não se ensinava computação em C ou Java. Era tudo numa linguagem chamada HAL (Hipothetic Assembly Language). Eu mesmo cheguei a ter umas aulas com o HAL quando entrei na Poli, pois lá pelos idos de 84, saiu na revista MicroHobby um emulador de HAL para ZX81 feito por dois alunos da Poli. Esses, sim, foram os pioneiros.

A questão de se igualar ao resto do mundo... pelo menos no nível de programação de emuladores não tem diferença. O BrMSX e o BrSMS, em seu auge, eram os melhores emuladores disponíveis para as respectivas plataformas.

Dos autores que eu admiro, só tenho como citar os meus amigos pessoais, que me ajudaram durante o desenvolvimento do BrMSX. Grandes caras esses: o Isaac Santaolalla (MSKISS), Sean Young (que atualmente está fazendo o MESS), o Martin Korth (da série No$Emu), e o Ulrich Doewich (do Caprice32).

E aqui no Brasil tem uma galera toda que faz emuladores: o Rafael Rigues (DarcNES), o Arnon Cardoso (Java MSX), o Muriloq (Phoenix Java), e uma menção especial pro Alexandre Maoski, autor do PowerMSX, que faleceu em um acidente (RIP).

gamer_boy: Diga alguma mensagem para os fãs que estiverem lendo a entrevista.

Ricardo Bitencourt: Se tiver algum fã que usou ou ainda usa meus emuladores, considerem fazer uma pequena doação para este autor que lhes proporciona tanta alegria (hehe)! Eu coleciono pingüins. Então, se alguém quiser doar um pingüim (de pelúcia, de porcelana, ou qualquer outro material), entre em contato: :)

http://www.mundobizarro.tk/

ricbitARROBA700km.com.br
  Veja em artigo em formato PDF Imprimir artigo Enviar artigo

Navegação
Artigo prévio DestemidoX e Cartman entrevistam Samurai_Pizza gamer_boy entrevista Yoboy Próximo artigo
Sites recomendados
Utilitários recentes
eXTReMe Tracker
Acessos:

Click here